top of page

Conduta nutricionista Fernando Rocker


Não faltam informações sobre alimentação e nutrição na mídia, em jornais, revistas, blogs, redes sociais, sites da internet, programas de televisão e mensagens veiculadas em comerciais e propagandas de produtos.

Em geral, essas informações são pouco qualificadas, com base no senso comum e baixo nível de evidência, tornando difícil a assimilação e provocando, muitas vezes, alterações desnecessárias na alimentação, trazendo muitas vezes frustrações e até malefícios a saúde.

Escrevo esse post pois recebi o relato de alguns pacientes que buscam além das mídias convencionais, buscam sim orientações com nutricionistas, endocrinologistas e nutrólogos; Porém acabam ficando mais confusos ainda, pois existem muitas condutas diferentes.

Nutricionistas que condenam gorduras e dizem que carboidratos são fontes indiscutivelmente necessárias como base de uma alimentação saudável já em contrapartida outros prescrevem dietas Low Carb, cetogênicas e semelhantes;

Nutricionistas que prescrevem muitos suplementos outros que abominam;

Bom, no meu caso o que norteia a minha conduta é o foco no paciente, sim a individualidade, pois o que é fato, cada paciente é um ser único e exclusivo é preciso escolher a recomendação de acordo com a sua vida (por exemplo, com sua condição de saúde, com seus hábitos alimentares e situação financeira)

Que estratégia é sustentável em longo prazo, considerando sua rotina diária?

Pode atrapalhar sua convivência social?Qual será a melhor forma de atingir seu objetivo? Pode prejudicar ou causar danos à sua saúde? Existe outro alimento/estratégia que proporciona benefícios semelhantes para a sua saúde?

Outro fatores como a busca do funcionamento ideal do trato gastro intestinal, ou seja a Íntima Relação entre Intestino, Comportamento, Mente e Cérebro.

Favorecimento do metabolismo, utilizar dietéticas que usem os alimentos certos em horários adequados onde a busca vai muito além do equilibro calórico apenas e sim através da alimentação regular a secreção hormonal.

Falando sobre isso, outro objetivo e adequar o objetivo do paciente com seu ciclo circadiano, que vai potencializar ação das enzimas,vitaminas e hormônios.

Partindo desses pré-requisitos, aí sim busco informações em artigos científicos de maior grau de recomendação e nível de evidencias, como por exemplo o o mais recente Guia Alimentar para a População Brasileira, que é um documento que vai de encontro com a realidade atual e o que acredito ser fidedigno a maioria das minhas condutas. E um dos princípios que julgo a mais relevante: o processamento dos alimentos.

O que mais interessam os pacientes sobre as condutas em geral:

Dentre as estratégias que utilizo, posso dizer que as chamadas "Low carb" "cetôgenica" "Paleo" vejo com bons olhos, devido em alguns casos a redução de circunferências de cintura, circunferências abdominais e de quadril que são predileções para demonstrar saúde em relação a DCNT como diabetes, dislipidemias e doenças cardiovasculares mas reforço não é uma estratégia que pode ser adotada por qualquer pessoa, é uma estratégia que precisa ser muito bem avaliada.

Aprecio muito estas condutas, pois já auxiliaram meus pacientes a entender que os alimentos ultraprocessados são sim descompensados nutricionalmente e fazem com as pessoas fiquem viciadas em açucares e gorduras ruins. A velha dicotomia em comer um alimento salgado e depois um alimento doce, poxa o paladar humano proporciona outros prazeres.

Você que leu até aqui deve ter percebido que só estou dizendo os lados positivos desta estratégia, realmente ela é muito eficaz, porém ela já também não deu certo para alguns pacientes:

Acredito que alguns eles leram sobre o assunto e imaginaram que é uma conduta como alguma dessas “dietas da moda”, que prometem redução de peso rápida e sem sacrifícios, adotados entusiasticamente imaginando resultados rápidos e duradouros.

Entretanto, se a adesão de qualquer dieta é só temporária, sendo usualmente abandonada em poucas semanas, uma vez que as mudanças e estratégias propostas são para reeducação alimentar. E se não condizem com a ideia de mudança de comportamento frente a alimentação, podem não dar certo.

Algumas vezes por questões emocionais, existem pacientes que não conseguem ficar sem açúcar e não podem cortar de uma vez, (por mais que as vezes dizem que podem).

Questões culturais, imagina ficar sem comer pãozinho com café de manhã? Sociais, dentre outros.

Enfim, busque um profissional alinhado alinhado com a sua saúde e performance.

O que posso lhe assegurar na minha conduta nutricional, sempre será baseada nas mais recentes orientações e fazendo com que você obtenho o melhor do seu potencial.

Finalizando esse é o primeiro artigo da série DESMISTIFICANDO DÚVIDAS SOBRE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO, onde irei abordar semanalmente vários temas dentre eles:

METABOLISMO, CICLO CIRCADIANO,INTESTINO, DIETAS DA MODA, ADOÇANTES, ALIMENTOS FUNCIONAIS, ÓLEOS, GORDURAS, AÇÚCARES.

As informações aqui contidas têm caráter informativo e não devem ser utilizadas para realizar auto-tratamento.

Em caso de dúvidas, consulte o seu médico ou nutricionista.

ATUALIZADO 15/08/2017

102 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page