top of page

Adolescente e atleta


Adolescente atleta

A atividade física é comportamento que, juntamente com a genética, nutrição e o ambiente, contribuem para que o indivíduo atinja seu potencial de crescimento, desenvolva plenamente a aptidão física e tenha como resultante um bom nível de saúde.

A adolescência é o período da vida que se inicia aos 10 anos de idade e se prolonga até os 20 anos (inclusive), ocorrendo durante esse percurso intensas transformações físicas, psicológicas e comportamentais.

Ainda que as necessidades nutricionais sejam influenciadas simultaneamente pelos eventos da puberdade e pelo estirão do crescimento, na adolescência em especial, uma fase de desenvolvimento, a escolha dos alimentos é potencialmente determinada por fatores psicológicos, socioeconômicos e culturais, que interferem diretamente na formação dos hábitos alimentares.

As com piores níveis de aptidão física, seja por atraso no desenvolvimento em função de limitações biológicas como desnutrição ou obesidade, ou por dificuldade no aprendizado, devem merecer maior atenção para que consigam ter sucesso.

A criança e o adolescente apresentam menor consumo máximo de oxigênio, menores estoques de glicogênio e de gordura corporal, maior intolerância à hipertermia e menor período de recuperação entre uma atividade física e outra quando comparadas com adultos

Cinco eventos têm influência direta sobre o equilíbrio nutritivo:

– Início da transformação pubertária.

– Aceleração do crescimento longitudinal.

– Aumento da massa corporal.

– Modificação da composição corporal.

– E nesse caso as variações individuais quanto à atividade física.

Do ponto de vista nutricional, os adolescentes pertencem a uma faixa de risco extremamente vulnerável no que diz respeito ao estilo de vida e ao alto consumo de energia e gordura, especialmente na forma de lanches.

O consumo excessivo de lanches afeta não somente a ingestão diária de macronutrientes mas também a de vitaminas e minerais.

A frequência diária do consumo de lanches constitui um aspecto de preocupação, e isso se deve, em grande parte, à evidente relação entre qualidade da dieta e aumento da obesidade.

Necessidades Nutricionais dos adolescentes

Energia

As necessidades energéticas estão aumentadas e mantêm estreita relação com a velocidade de crescimento e a atividade física. Os requerimentos de energia aumentam de acordo com a velocidade de crescimento estatural, o que permite afirmar que os incrementos de estatura refletem melhor o período de crescimento.

As diferenças entre o sexo masculino e o feminino, evidentes no início da puberdade, acentuam-se ao longo da adolescência e estão de acordo com a atividade física realizada.

Proteínas

O rápido crescimento ocorrido durante o estirão pubertário exige elevada oferta proteica, inf uenciada por fatores como a velocidade de crescimento, o estado nutricional prévio, a qualidade proteica da dieta e a oferta energética.

Vitaminas

As vitaminas hidrossolúveis, como tiamina, niacina e riboflavina, cumprem relevantes funções no metabolismo energético, portanto é essencial que as recomendações sobre sua ingestão tenham como base a ingestão energética.

Entre as vitaminas lipossolúveis, as necessidades de vitamina A aumentam consideravelmente nos períodos de crescimento acelerado. A vitamina D está envolvida no metabolismo do cálcio, do fósforo e na mineralização óssea.

Minerais

A oferta de minerais é imprescindível para o correto funcionamento de numerosos sistemas enzimáticos e para permitir a expansão dos tecidos metabolicamente ativos, os quais sofrem notável incremento durante esse período.

Diferentes performances e diferentes necessidades nutricionais

Atividades físicas desempenhadas no ambiente escolar são de fundamental importância na promoção da saúde da criança e na manutenção deste comportamento na idade adulta.

As habilidades relacionadas à marcha, corrida, arremesso e saltos, nesta faixa etária em que a criança inicia as aulas de educação física, vão ser estimuladas a atingir o seu pleno desenvolvimento e otimização da performance dos gestos e movimentos que têm como objetivo final a plenitude da aptidão física, que por sua vez, favorecerá a prática de atividades físicas e desportivas.

As aulas de educação física também agregam benefício adicional que é o de ser um espaço reservado ao aumento do gasto energético semanal das crianças.

Para que os adolescente tenham melhores rendimentos tanto no que tange de rendimento nos treinos, para que seu desenvolvimento físico e mental não sejam prejudicados consulte um profissional de saúde.

Nutricionista Fernando Rocker

CRN3 46861

Que tal agendar uma consulta para seu adolescente clicando aqui

Fontes:

ATIVIDADE FÍSICA NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA: GUIA PRÁTICO PARA O PEDIATRA,2008.SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA DOCUMENTO CIENTÍFICO

Manual de orientação do departamento de nutrologia: alimentação do lactente ao adolescente, alimentação na escola, alimentação saudável e vínculo mãe-fi lho, alimentação saudável e prevenção de doenças, segurança alimentar.

Departamento Científico de Nutrologia Sociedade Brasileira de Pediatria,2012


466 visualizações0 comentário
bottom of page